Museu em SP é roteiro imperdível

O Museu Histórico da Imigração Japonesa no Brasil, no bairro da Liberdade, em São Paulo, é um roteiro imperdível para quem ama a cultura japonesa, gosta de história ou simplesmente quer saber mais sobre a trajetória percorrida pelos imigrantes japoneses, desde a saída no Japão até a chegada em Santos, a bordo do navio Kasato-Maru.

Entre centenas de fatos curiosos, objetos, cartas, diários, documentos, fotografias e jornais ligados à Imigração Japonesa , o visitante tem a oportunidade de conhecer uma grande parte do que os pioneiros japoneses vivenciaram em uma terra de costumes e língua completamente diferentes da sua cultura.

Inaugurado em 18 junho de 1978, o espaço foi idealizado para ser o principal marco do 70º aniversário da Imigração Japonesa no Brasil. A cerimônia de abertura foi prestigiada pelo então príncipe herdeiro Akihito do Japão e pelo presidente do Brasil na época Ernesto Geisel.

Com um total de 1.592 metros quadrados de área expositiva, dividida em três andares (7º, 8º e 9º), o museu está localizado no Edifício Bunkyo. Os dois primeiros andares foram construídos em 1978 e reúnem documentos e objetos que abrangem da assinatura do Tratado de Amizade Brasil-Japão (1895), a chegada dos primeiros imigrantes (1908), os núcleos coloniais (a partir de 1913), até a policultura.

O 9º andar, inaugurado em 2000, enfoca os 50 anos pós-guerra tratando sobre as mudanças da comunidade nikkei, a vinda das empresas japonesas bem como a contribuição dos nipo-brasileiros para a sociedade brasileira.

No 3° andar estão localizados a biblioteca e o acervo que somam mais de 5 mil objetos, 28 mil documentos escritos (entre diários, livros, jornais, revistas) e cerca de 10 mil fotos relacionadas aos imigrantes japoneses.

Enfocando a trajetória dos imigrantes japoneses em ordem cronológica, o museu abre o espaço expositivo, no 7º andar, com a documentação sobre o Tratado de Amizade, Comércio e Navegação entre o Brasil e Japão assinado em 1895. Em seguida, apresenta uma galeria de destacados personagens anteriores à chegada da primeira leva de imigrantes japoneses em 1908.

Memória

A diretora executiva do Museu da Imigração Japonesa, Célia Oi, disse que o local é hoje, na América Latina, o maior em número de documentos e fotografias relacionados à história da imigração japonesa. “O acervo é resultado do esforço da colônia japonesa no Brasil em reunir toda a sua história com o objetivo de preservar a memória dos pioneiros da imigração”, ressaltou.

Ela contou que o local é referência para visitas de autoridades japonesas e para alunos. Monitores bilíngües fazem o acompanhamento. A visita pode ser feita em uma hora e meia. Célia destaca os objetos que mais atraem a curiosidade das pessoas, como a réplica do Kassato-Maru, uma cabana que foi habitada por um imigrante japonês e uma vitrine contendo ferramentas e utensílios usados nas fazendas de café. Segundo ela, muitas famílias de imigrantes se emocionam ao conhecer a história dos seus antepassados.

No passeio, também podem ser observadas cenas da partida no Japão, a longa viagem, o desembarque em Santos e a chegada à Hospedaria dos Imigrantes em São Paulo são mostradas em fotografias e vídeos. Entre os documentos, cartas de encorajamento das autoridades, contratos de trabalho, passaportes, jornais editados a bordo do navio, relatório de viagem e manual para o aprendizado do português. São documentos valiosos em termos históricos e que valem a pena serem vistos. Todo este acervo leva o visitante a uma verdadeira viagem ao passado.

Ficha técnica

Endereço e informações:

Museu Histórico da Imigração
Japonesa no Brasil - Rua São Joaquim, 381, Bairro da Liberdade, em São Paulo
Telefone: 3209-9565, 3209-5465 e 3272-0394

E-mail: mhijb@nethall.com.br

horário: Abre de terça a domingo, das
13h30 às 17h30. Pesquisas na biblioteca em horário comercial, de segunda a sexta-feira; e aos sábados das 13h30 às 18horas.

Ingressos: R$ 5,00 (adultos), R$ 2,50 (estudantes)e R$ 1,00 (crianças de 6 a 11 anos). Entrada franca para maiores de 65 anos. Monitoria para escolas e grupos em japonês e português com agendamento prévio.